Brasil – Rio Grande do Norte

Rio Grande do Norte (RN) é um estado agrícola. O maior produtor de sal do Nordeste Brasileiro, e um dos maiores estados brasileiros. Possui o Oceano Atlântico ao Norte e a leste; o Estado do Ceará a oeste, e o Estado da Paraíba ao sul. Sua área é de 53.000 km2. A indústria têxtil e confecção merecem destaque em todo o estado. O território foi colonizado pelos portugueses, no final do século XVI. A capital é Natal, assim chamada por causa da data oficial de sua fundação – 25 de dezembro de 1599 pelo Capitão Mor de Pernambuco, Manoel Mascarenhas Homem, que a mando de Portugal viera construir a fortaleza dos Reis Magos, situada na foz do Rio Potengi. Erguido em 06 de janeiro de 1598, a fortaleza, em forma de estrela, palco de lutas contra os holandeses, é o mais importante monumento histórico da cidade, onde Natal foi fundada e o governo estabelecido. Até 1822, quando o Brasil proclamou a independência, Natal foi governada por uma sucessão de comandantes portugueses. De 1822 a 1889, a província do Rio Grande do Norte era governada por presidentes. Desde então vem tendo governo e legislação própria.

Natal, cidade-mulher, vaidosa e faceira, sempre pronta para receber bem o turista. Banhada pelas claras e mornas águas do Oceano Atlântico, a cidade é uma aula viva de História do Brasil, exibindo orgulhosa seu patrimônio cultural e a beleza resultante da miscigenação de muitas raças, cores e credos.

Entre suas belezas naturais, destacam-se as Dunas. As mais bonitas são de Genipabu, que são um espetáculo aos olhos e uma diversão enorme para os turistas ( passeios de buggy). Sua parte industrial está ainda em desenvolvimento, e é formada por empresas pequenas e de médio porte, destacando-se a indústria têxtil, algumas unidades de grandes grupos nacionais e, atualmente, de grupos estrangeiros. Receberá a Copa em 2014, onde seu estádio – Areia Dunas – está pronto para o evento.

Natal tem os seguintes codinomes:

Trampolim da Vitória, por ter sediado a base norte-americana na 2a. Guerra Mundial;

Cidade do Sol, por ser banhada pelo sol durante quase 300 dias do ano, com temperatura média de 28 graus C;

Cidade Espacial do Brasil, pois lá se encontra a primeira base brasileira de lançamento de foguetes espaciais ( Barreira do Inferno), a 15 km. do Centro.

Natal está localizada abaixo da linha equatorial, a 5,46 gruas do Equador magnético e 31 m. acima do nível do mar. É o ponto mais próximo da Europa e da África. Todos esses fatores conferem a Natal uma situação única, favorecida, principalmente, pela excepcional posição geográfica.

Exceto na costa sul de Natal, onde os ventos vindos do Atlântico trazem chuvas abundantes, o estado é semi-árido. Geralmente, as chuvas são muito fracas e os poucos rios, principalmente o Açu, o Apodi e o Potengi, não são rios perenes.

Ecoturismo no Rio Grande do Norte

Reconhecido internacionalmente pela beleza de suas praias e hospitalidade de seu povo, o Nordeste brasileiro guarda muitos segredos em seu interior, pouco conhecido. Essa região possui o maior conjunto de arte rupestre do mundo, pinturas e gravuras feitas pelos grupos indígenas, há muito tempo desaparecidos. Há, também, depósitos paleontológicos ( fósseis de mastodontes, preguiças gigantes, tigres dentes-de-sabre, etc…). Estas riquezas encontram-se no meio de paisagens selvagens, abençoadas por monumentos geológicos esculpidos pela erosão ao longo de milhões de anos: Lajedo de Soledade; Pico do Cabugi, Seridó, Martins e São Rafael.

Búzios: A 35 km. do Centro, é continuação de Pirangi. Praia com Dunas cobertas de vegetação. É excelente descanso.

Tabatinga: A 45 km do Centro, é continuação de Búzios e Pirangi. Praia também com dunas cobertas de vegetação.

Camurupim e Barreto: 55 km do Centro. Continuação de Tabatinga. Possui grandes formações de recifes que formam piscinas naturais próximas à costa.

Tibau do Sul: 78 km de Natal, tem acesso pela Rodovia BR 101. Da pequena cidade tem-se uma bela vista do Oceano Atlântico e da lagoa de Guarairas, com seus coloridos barcos de pesca.

Pipa: 80 km de Natal. Acesso pela BR 101. Em Pipa, praia pertencente a Tibau do Sul e reduto de humildes pescadores, a ordem é caminhar nas pedras e falésias. A praia do amor é adequada para os que buscam um lugar relaxante. Guardada por golfinhos e tartarugas marinhas, é cercada pela mata atlântica.

Barra do Cunhaú: Praia extensa, de mar calmo. A foz do rio Curimataú fornece ainda mais encanto a essa praia que tem um vilarejo, onde se criam camarões para exportação.

Baía Formosa: Juntamente com a praia da Pipa, é uma das mais procuradas pelos surfistas. São quase 15 km alternados pelas faixas de areia e pelos penhascos avermelhados.

Litoral sul: 21 km do centro. Acesso pela RN 063, também chamada de a rota do sol. Possui dunas e muitos coqueiros, numa praia ótima para banho. Ao sul, um paredão de falésias é o destaque, junto a uma pequena faixa de dunas, onde se pode acampar. Areias brancas e águas sempre mornas, extremamente relaxantes.

Piscinas naturais: Em frente às prais de Pirangi do Norte e do Sul, podem-se ver as piscinas naturais durante a maré baixa, onde se pode ir de barcos alugados. Em frente às praias encontram-se os “parrachos”, recifes de corais.

Ponta Negra: 12 km do Centro, acesso pela RN063 e via Costeira. Paisagem formada por uma pequena baía com 3 km de extensão, altas dunas, sendo a principal o Morro do Careca, com 120 m de altura, um dos cartões postais da cidade. Na areia, banquinhas vendem caranguejo (é preciso quebrá-lo com um pedaço de pau para extrair sua carne); peixe frito com macacheira (aipim ou mandioca); carne de sol com manteiga do sertão, camarões, lagostas e caldos diversos.

Pirangi: 24 km do Centro. Acesso pela RN063. Pirangi do Norte é a praia mais badalada do verão potiguar, com um dos carnavais mais animados de todo o estado, já começa a ser conhecido no país. As águas tranquilas permitem a prática de esportes náuticos. A 500 metros da costa, bancos de corais formam piscinas naturais que podem ser visitadas em barcos.

Pirangi do Sul: é caracterizada pela tranquilidade do mar, quase sem ondas. O encontro do Rio Pirangi divide a praia em Norte e Sul, com o Oceano Atlântico. À beira da estrada fica o Cajueiro de Pirangi, considerado o maior do mundo.

Litoral Norte:

Genipabu: 30 km de Natal – RN160 – A mais famosa das praias do Rio Grande do Norte. É visita obrigatória para o turista. Coqueirais, dunas, e os passeios de buggys pelas dunas fixas e móveis são uma aventura. A lagoa de Genipabu merece uma visita. Opções: passeios de jegue, dromedário e jangada.

Pitangui: 35 km de Natal. Acesso RN160. 6 km de dunas e coqueirais, onde há um pequeno povoado e casas de veraneio.

Jacumã: 45 KM de Natal. RN160. No meio das dunas há a lagoa de Jacumã.

Muriú: 40 km de Natal Acesso RN 160. Dunas, coqueiros, jangadas, barcos. Passeio às piscinas naturais formadas por bancos de corais a 1 km da costa. Pesca artesanal e industrial.

Barra de Maxaranguape: os recifes ao longo de seu litoral garantem um banho de mar tranquilo. À noite o forró agita a costa.

Touros: Pequena cidade com casas de veraneio e muitas dunas. No século XVII essa praia foi visitada por portugueses que deixaram como marco uma coluna de pedra, atualmente no Forte dos Reis Magos.

São Miguel do Gostoso: vila de pescadores.

Galinhas: Praia rústica de difícil acesso. Fica numa península tranquila. Para chegar lá, o barco é a melhor opção. Na cidade não existem ruas, calçadas, nem automóveis.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*